Representações e entidades de classe: para entender a sopa de letrinhas...

Muitos trabalhadores da Dataprev, que chegaram à empresa nos últimos anos desconhecem e sentem dificuldades de se situar dada a coexistência de tantas entidades de representação dos interesses da categoria.

Pensando nesses dataprevianos – e também naqueles já um tanto esquecidos ou que nunca obtiveram informação suficiente para diferenciar o papel de cada instituição, elaboramos esse pequeno resumo, que pode ajudar na hora de dar aquele puxão de orelhas nos representantes que porventura não estejam desempenhando o papel que lhes é outorgado, não é mesmo?


GEAP – Com uma carteira com mais de 600 mil vidas, a GEAP - Autogestão em Saúde, é uma das pioneiras em oferta de planos de saúde em autogestão. Fundada em 1945, mantém convênio com mais de 100 órgãos governamentais, entre eles a Dataprev, permitindo a adesão do empregado ao planos de saúde e a inclusão de dependentes – inclusive os pais.

Alvo de muita insatisfação nos últimos anos devido a uma crescente pressão por melhoria de atendimento e da rede hospitalar, a GEAP tem como princípio a oferta de planos de saúde solidários, constituindo um fundo assistencial com contribuições mensais e participação financeira percentual por utilização da maioria dos serviços credenciados. A Dataprev co patrocina financeiramente a mensalidade dos empregados e dependentes com apenas 30% do custo dos planos ofertados. As representações reivindicam a tempos que o custo dos planos deve ser dividido entre a empresa e o empregados. Com o fim da intervenção da GEAP e sua cisão em duas entidades distintas - de Saúde e de Previdência - os Conselhos Estaduais de Representantes foram extintos e, assim, não só os beneficiários dos planos como os patrocinadores perderam um órgão importante de interlocução e cobrança por melhorias do plano junto as unidades regionais da GEAP. Atualmente uma empregada da empresa é conselheira fiscal suplente da GEAP - Autogestão em Saúde e os pecuniários ficaram sem representante desde abril de 2013.


PREVDATA – A Sociedade de Previdência Complementar da Dataprev (Prevdata) vem a ser o fundo de pensão dos empregados da Dataprev, desde 1978. Após uma séria crise, o fundo tem dado mostras de saúde financeira, nos últimos anos. Entre os atrativos para os trabalhadores aderirem, encontra-se a possibilidade de desconto no valor do Imposto de Renda, além da garantia de uma melhor idade mais tranquila, do ponto de vista financeiro. Trabalhadores da Dataprev também elegem representantes para a Prevdata, além dos indicados pela diretoria da empresa.


OLT – Espécies de “células” e, no princípio do sindicalismo no Brasil, voltadas exclusivamente para a luta política e ideológica de classe, as Organizações por Locais de Trabalho (OLTs) ganham reconhecimento jurídico a partir da Constituição de 1988, conhecida como a Constituinte Cidadã. Ao contrário de outras representações, porém, a OLT funciona de modo desburocratizado e tem no seu DNA a proximidade com o corpo funcional. Por isso trata-se de um espaço garantido e autônomo de luta, no caso de os sindicatos não representarem, ainda que momentaneamente, os interesses de uma categoria. Na Dataprev, os representantes da OLT são eleitos anualmente, em cada sede da empresa, em número que varia de acordo com os quadros regionais de lotação. A OLT é um canal de comunicação permanentemente aberto para denúncias, reclamações e sugestões e caso não trate diretamente o problema, a OLT poderá encaminhar para outras entidades como CIPA, AED, ANED, Sindicato, etc ...


ASSOCIAÇÕES ESTADUAIS DE EMPREGADOS – As associações estaduais de empregados da Dataprev, cujos membros dos conselhos diretor e fiscal são eleitos pelos empregados associados, se originaram logo nos primeiros anos de atividade da empresa, com um viés mais social, de incentivar a interação dos trabalhadores, por meio de atividades culturais, esportivas, recreativas etc. Nos últimos anos, muitas têm sido responsáveis por firmar convênios de interesse dos empregados em setores econômicos em que a negociação coletiva permite a obtenção de benefícios para o conjunto dos associados.


ANED – A Associação Nacional dos Empregados da Dataprev (Aned), fundada em 1986, é a primeira entidade de classe a representar os trabalhadores da empresa, em nível nacional. Surge da necessidade de união dos dataprevianos e volta-se única e exclusivamente ao atendimento de seus interesses e demandas. Embora sem poder de condução do processo, a Aned participa das campanhas salariais, assim como de todas as lutas por melhores condições de vida e trabalho dos empregados da Dataprev, somando esforços junto com as demais entidades de representação, principalmente nas greves e mobilizações. Além disso, por congregar as associações estaduais de empregados que lhe são filiadas, oferece também convênios pontuais, em nível nacional, quando de interesse dos associados, além de promover a integração entre as associações.


SINDICATOS – A origem do sindicalismo no Brasil remonta à passagem de uma economia agrária e escravocrata a um modelo industrial, com trabalho assalariado. Das chamadas “sociedades de socorro e ajuda mútua” até os sindicatos que temos hoje, muita luta foi necessária, com avanços e retrocessos esporádicos. Os sindicatos se organizam, pela legislação, por ramo de atividade e localidade. Os sindicatos dos trabalhadores em processamentos de dados, tecnologia da informação e atividades correlatas tiveram início nas antigas APPDs, fundadas entre 1977-1978. Suas diretorias são eleitas, em geral, para mandatos de três anos de duração. Em sua maioria chamados de Sindpds, os sindicatos de nossa categoria se firmaram e foram responsáveis por liderar greves e movimentos que tornaram possíveis diversas conquistas que vemos hoje em nossos ACTs. Ao longo da história, como em qualquer categoria, é evidente o esforço de setores do patronato e dos governos de burocratizarem, tutelarem e tentarem transformar os sindicatos em meras ferramentas para a conciliação de classes antagônicas, causando enormes prejuízos à organização da luta dos trabalhadores. No entanto, é certo que um sindicato combativo se faz com trabalhadores sindicalizados e participativos, reduzindo a margem de ação dos tradicionais “pelegos”.


FENADADOS – Fenadados é a sigla para Federação Nacional dos Empregados em Empresas e Órgãos Públicos e Privados de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares. Entidade orgânica à Central Única dos Trabalhadores (CUT), data de 1989 o seu primeiro Congresso, em que se reuniram as então APPDs, em processo de transformação em sindicatos regionais. É da Fenadados, junto com os sindicatos estaduais a ela filiados, a responsabilidade jurídica hoje exclusiva de conduzir os processos de negociação em empresas como Serpro e Dataprev, o que tem sido alvo de contestação pelo fato de sindicatos não filiados exigirem poder representar seus filiados na condução de um processo que abrange todos os trabalhadores.


FNI – Considerada uma alternativa de organização à Fenadados, a Frente Nacional dos Trabalhadores em Informática (FNI) foi fundada em 2010 e reúne os sindicatos estaduais de RS, SE e SC, além de diversas OLTs pelo Brasil. A Frente apregoa a livre organização dos trabalhadores e a independência da luta sindical face os governos, direções de empresas e interesses político-partidários.


Imprimir