Serpro oferece 7,05% e cartela extra de tíquetes. Enquanto isso, na Dataprev...

Em mesa de negociação ocorrida na data de hoje (18/08), em Brasília, entre o Serpro e a Fenadados, a empresa federal, que também tem data-base em maio, apresentou proposta de 7,05% de reajuste linear, mais uma cartela extra de tíquetes em dezembro (14ª cartela).

Ainda que tímido, este avanço demonstra que, apesar do atual panorama de crise econômica – que atinge ainda mais os trabalhadores, diga-se de passagem –, há espaço para melhorias, se houver disposição de diálogo. A Dataprev possui ferramentas para isso, basta querer. Por outro lado, não custa lembrar que o avanço, ainda que pouco, no Serpro, deve-se também à mobilização dos trabalhadores daquela empresa, que realizaram greves e paralisações ao longo do período negocial.


A Aned está do lado dos trabalhadores da Dataprev e propõe que haja unidade na luta para pressionar a empresa a avançar. Se o partido e a coalizão de governo são os mesmos, para as duas empresas, por que na Dataprev não podemos ter melhorias? Por que o presidente-ator não quer?! Não é por aí... O trabalho de todos deve ser recompensado!

Vamos dizer NÃO aos 6,28% e à retirada de conquistas que podem causar ainda mais evasão de novos talentos da nossa empresa. É isso que a gestão prepotente da Dataprev deseja? Inviabilizar o crescimento e o futuro da empresa? Nos próximos dias haverá assembleias em vários estados. Unidade da federação com maior contingente de trabalhadores, o Rio de Janeiro fará assembléias descentralizadas, nesta terça-feira (19/8): às 10h no Cosme Velho e às 14h na Álvaro Rodrigues.

Cabe um pedido de atenção especial aos companheiros mais novos. A empresa aposta na retirada de benefícios conquistados com muita luta, ao longo dos anos. O ACT não pode, de maneira nenhuma, contemplar perdas que prejudiquem o futuro desta geração que adentrou e oxigenou a empresa nos últimos anos e ainda fortaleceu o movimento sindical de forma inovadora e combativa em defesa dos empregados.. Fora isso, essas perdas podem acarretar, além da evasão mencionada, desmobilização de jovens que têm oxigenado também o movimento sindical, como os combativos companheiros de Santa Catarina e de tantas outras UDs pelo Brasil. Estamos de olho!

Compareça! Lute!


Imprimir