Campanha Salarial revela velhos problemas e demonstra urgência por mudanças

Não de hoje, cada campanha salarial da Dataprev termina com a categoria saindo com um sentimento de derrota ou, no mínimo, de muita insatisfação. Isto se dá por diferentes motivos. Este ano, a desculpa oficial dos condutores desse ônibus caindo aos pedaços passará pela “crise”. Nós da Aned também concordamos em pôr a culpa na “crise”, mas em outros termos: a crise atinge, necessariamente, nosso âmbito, como entidade. A “crise” é principalmente de representação!


Claro que nos incluímos nessa crise de representatividade. Nem sempre podemos, nem sempre conseguimos dar conta do quanto esperam de nós, como uma associação nacional de trabalhadores(as). Mas, também é justo lembrarmos como a Aned tem buscado pensar e agir num cenário em que já passou da hora de transformar o processo de negociação, de torná-lo mais plural e combativo, mais democrático e politicamente eficaz. Há muito não dá mais para sustentar e acatar a falsa hegemonia, essencialmente burocrática, da Fenadados e seus sindicatos filiados – cuja legalidade reconhecemos mas cuja legitimidade como centralizadores do processo de negociação questionamos faz bastante tempo.

Isto porque a categoria mudou, e com ela o movimento sindical. Isto porque também o país mudou, as demandas por uma outra ética de organização coletiva, mais horizontal, cresceram, principalmente depois dos movimentos de 2013. E mudaram, sobretudo depois da chegada do PT ao governo federal, os próprios estamentos sindical e governamental – muitos dos que eram sindicalistas e que exerceram um papel fundamental na fundação do sindicalismo de TI hoje, ou melhor, há muitos anos ocupam cargos de governo, em sua grande parte “gerindo” o que antes condenavam: demissões, sucateamento de setores da empresa, terceirizações, opressão, assédios contra trabalhadores, perda de direitos, ataques à livre organização sindical e por aí vai.

A ficha das mudanças não vai “cair”, porém, para os que se encastelam tanto no poder sindical quanto no estatal. Essa “ficha” só vai ser percebida quando a categoria se mover, de baixo para cima. Sendo assim, cessam aqui nossas lamentações e repúdio por uma Campanha Salarial que só podemos classificar como mesquinha, cínica, e que provou mais uma vez que precisamos mudar, e mudar muito.

Não podemos nos dar ao luxo de parar e chorar. O ano de 2015 se aproxima de seu final, mas o reflexo do insucesso do dissídio direcionado pela Fenadados permanecerá em 2016 convivendo com um cenário de mais arrocho, de mais demissões, mais ataques aos trabalhadores, possíveis dissídios e parcelamentos para os anos seguintes.

A Aned desde já convida todos os trabalhadores da Dataprev para refletirmos juntos sobre o momento e nos prepararmos para as “brigas” que já estão colocadas e para as que ainda virão, num cenário de forte ataque aos(às) trabalhadores(as), de um governo operado por um banqueiro e refém de suas questionáveis escolhas; de um Congresso de perfil altamente conservador; e até mesmo de uma parcela da sociedade que parece querer voltar no tempo e reavivar monstrengos como o sucateamento das empresas públicas, corte de direitos e conquistas e aumento da repressão contra quem luta.

Está ruim com as representações que temos? Tratemos de transformá-las! Se possível, operar “por dentro”, filiando-se aos sindicatos, participando dos processos eleitorais para troca de diretorias pelegas, das OLTs, associações, congressos, enfim, dos fóruns oficiais e alternativos da categoria. Se for preciso, que se criem outras representações! Como está, não dá! Não temos, de nossa parte, qualquer objeção a mudanças, mesmo as que porventura nos afetem. TODA FORMA DE LUTA DEVE SER RESPEITADA E INCENTIVADA. E que as diferenças possam somar para mudar o quadro de desolação que temos hoje.

Não podemos engolir calados essa pizza fria em que se transformou nosso reajuste – fatiado, entregue fora do prazo de validade, com a gordura do mau uso da nossa representatividade a fermentar em nosso juízo.

Vamos à luta, companheirada! 2016 já começou!!!


Imprimir