COMUNICADO 001/2015 ANED – Gestão 2014/2016

ASSUNTO: Crise!

NOTA DE REPÚDIO E CONVOCAÇÃO!

Dataprev arrasta campanha para depois das eleições! Trabalhadores pressionam por mesa de negociação já!

É nítido e notório que a Dataprev, sob o comando do partido que se diz dos trabalhadores, joga, ano após ano, para derrotar os seus empregados. Neste 2014, ano das eleições presidenciáveis, não está sendo diferente. A “novidade”, se assim pudermos chamar, é a flagrante tentativa de desmobilizar qualquer movimento que possa “atrapalhar” os planos eleitorais, inclusive e infelizmente, até de parte dos dirigentes sindicais. Nós da Aned não vamos pedir votos para A nem B. Ao contrário, reconhecemos alguns avanços importantes, ocorridos nos últimos anos.

Porém, temos um lado, que é o dos trabalhadores. Sendo assim, repudiamos que a próxima mesa de negociação entre Dataprev e representação dos empregados, sob comando da Fenadados, tenha sido agendada, em comum acordo entre as partes, para somente depois da realização do primeiro turno das eleições. Isto quando, em estados como Paraíba e Pernambuco, paralisações já ocorriam. Ou seja, o intuito dessa agenda foi um só: esfriar os ânimos, tentar calar qualquer “barulho” pré-eleitoral.

Entendemos que esse tiro é dado no próprio pé, posto que desmoraliza ainda mais uma direção adepta da truculência, e que isso prejudica ainda mais a imagem já arranhada de um governo que decepcionou bastante a classe trabalhadora. A Aned solicita que a diretoria da Dataprev faça uma reflexão e que vá buscar a resolução desta Campanha Salarial, ao invés de adiar sua solução e, outra vez, buscar ludibriar os trabalhadores com uma falsa expectativa de avanços – muitos podem até concluir que está se tratando aqui do velho estelionato eleitoral! A nossa data-base é maio, não custa lembrar. Os nossos salários estão sob pressão inflacionária e não há mais tempo a ser perdido. Marque a mesa para antes das eleições, Dataprev!

Em um período de seguidos ganhos institucionais, passou da hora de a Dataprev respeitar seus trabalhadores e saberem que eles que fazem essa empresa melhorar seus serviços, para a sociedade. A proposta de reajuste apresentada até o momento, 6,28%, não cobre sequer a inflação acumulada no período, segundo o Dieese (7,05%). Além disso, cláusulas históricas dos empregados estão sob ameaça. É assim que essa diretoria quer reeleger a presidente Dilma? É para isso que marcam uma mesa para depois do primeiro turno das eleições? O que vão fazer depois? Enrolar até depois do segundo turno, para não nos dar nada e aí partirmos para outro dissídio no TST?

Não podemos deixar as coisas como estão e por isso convocamos os trabalhadores para nos unirmos em torno desta bandeira: antecipação da mesa de negociação para até o dia 30/9, no mais tardar. E solução já, e digna, para nossa Campanha Salarial 2014/2015.

Sem rendição! Vai ter luta na Dataprev!

 

MOBILIZAÇÃO - DIA 08/10

VOCÊ que na última assembleia realizada no prédio votou na Paralisação, enquanto durasse a 8ª mesa de negociação;

VOCÊ que na última assembleia votou pela Greve de 24h no dia 01/10;

VOCÊ que na última assembleia votou pela Greve de 24h no dia 01/10 + paralisação durante a 8ª mesa de negociação;

VOCÊ que na última assembleia votou por Greve por tempo indeterminado, a partir do dia 01/10.

ENFIM,
todos que não concordam com a maneira que estamos sendo tratados nessa mesa de negociação e querem demonstrar isso de alguma forma.

AGORA TEMOS A OPORTUNIDADE ...

Um movimento originário na própria base articulou uma PASSEATA, que irá percorrer as ruas Álvaro Rodrigues e Voluntários da Pátria.
Assim, juntos levaremos ao conhecimento da sociedade a situação que nos encontramos.
No dia 08/10, durante a realização da 8ª mesa de negociação, vamos demonstrar a nossa insatisfação percorrendo as ruas do bairro,
aproveitando o horário da paralisação que será realizada.

Será a primeira vez que uma manifestação dessa irá acontecer pelos funcionários insatisfeitos com a condução da negociação dos nossos
benefícios e do nosso reajuste salarial.

Com o uso de faixas, cartazes e apitos vamos fazer escutar nossos anseios na mesa de negociação.

Falem com seus colegas de andar e vamos concentrar o máximo possível de pessoas para a realização deste movimento.

Esclarecimentos sobre assinatura do ACT

Com a possibilidade cada vez maior de os trabalhadores que realizaram movimento paredista, na última Campanha Salarial, sofrerem desconto em seus salários, na folha de novembro, a diretoria da Aned enviou ofício à Fenadados, no último dia 10 de novembro, solicitando abertura de negociação, com a Dataprev, com o objetivo de impedir ou ao menos tentar minimizar esse desconto, e se oferecendo, como de praxe, para ajudar nessas tratativas.

Até a presente data, infelizmente, não obtivemos nenhuma resposta da Federação.

O ofício também remete ao equívoco na redação constante na Cláusula 42ª – Horário de Trabalho do ACT em vigor, que torna vulnerável a conquista obtida pelos trabalhadores, de uma maior flexibilização na jornada de trabalho. O ACT foi assinado sem que constasse a redação ajustada na 7ª mesa de negociação, que não estabelece a gestão das chefias sobre a flexibilidade estabelecida no Acordo.

A diretoria da Aned reitera sua vontade de colaborar para que os trabalhadores não sofram prejuízos por terem lutado por um ACT mais digno e que recebam um tratamento equânime ao dos trabalhadores de outras unidades.

Segue, em anexo, cópia do ofício que a Aned enviou à Fenadados.

  Ofício 031/2014 Gestão 2014/2016

Com Dilma ou Aécio, só a luta pode melhorar a vida dos trabalhadores!

Após mais uma longa e desgastante jornada, os trabalhadores da Dataprev aprovaram, na maioria dos estados, uma proposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que, se não representa um ganho real nos salários – o reajuste linear de 7,05% apenas repõe a inflação acumulada no período maio/2013 a abril/2014, segundo o ICV-Dieese – ao menos impede que haja mais perdas econômicas e sociais. Importante frisar que essas perdas só foram evitadas porque, em várias unidades, houve forte mobilização, só possível porque a categoria não se deixou manobrar pelas necessidades impostas a alguns sindicatos pelo calendário eleitoral.

O que não dá para tapar os olhos é para o papel desmobilizador a que se prestaram diversos setores do movimento sindical para, supostamente, garantir a governabilidade no período Lula-Dilma. O largo uso do expediente da coerção, por uma maioria de gabinete, via Pacto Federativo, por exemplo, demonstra essa indisposição para a construção coletiva e para deixar tudo como está. Não dá para esquecer, ainda, alguns ganhos, sim, mas também as agressões e opressões sofridas pelo nosso funcionalismo, nesta era em tese mais progressista: demissões, ausência de diálogo, descontos e punições nas greves, Polícia Federal convocada para intimidar trabalhadores na porta da empresa, lobby junto aos tribunais para impedir avanços e cercear o direito de greve, tentativa de retirada de conquistas históricas e por aí vai.

Por outro lado, se a gestão Rodrigo Assumpção trouxe estabilidade empresarial para a Dataprev, entrou negativamente para a história da empresa, em termos de relacionamento com as entidades de representação e de truculência e desrespeito para com os trabalhadores.
Ou seja: as eleições, por si só, não mudarão, para melhor, as condições de vida da população. O perfil do Congresso eleito em 5 de outubro, ainda mais reacionário e elitista, demonstra claramente que virão anos de chumbo grosso para cima dos trabalhadores! Quem for eleito será refém desse Congresso, em prol da chamada “governabilidade”. Mas essa mensagem não se dá em tom pessimista, não. A Aned confia plenamente na força da luta e da organização dos trabalhadores. Queremos conclamar os trabalhadores para a permanência e ampliação da luta por melhores condições de vida. Queremos, inclusive, que aqueles que seguiram por um caminho de distanciamento com as bases e demandas dos trabalhadores, façam uma reflexão de seus erros e que possamos caminhar, sempre que possível, juntos nessa luta, respeitadas as diferenças de pensamento e organização.

É, portanto, com espírito de luta e amor à causa dos trabalhadores que desejamos aos dataprevianos que façam a melhor escolha possível, de acordo com suas próprias consciências, neste domingo, 26 de outubro. Ganhe quem ganhar, a vitória só será nossa se mudarmos a correlação de forças, se nos aliarmos às lutas de outras categorias combativas, se nos mantivermos sempre presentes e participativos em nossos ambientes de trabalho.

Com Dilma ou Aécio no poder, nós da Aned estaremos firmes, na defesa do que já conquistamos, e por mais avanços para a classe trabalhadora.

Por um ACT digno, trabalhadores da Dataprev estão dispostos a paralisar atividades

A Dataprev continua ignorando que seus trabalhadores merecem ser valorizados e tratados com dignidade.

 


Endereço: Rua Prof. Álvaro Rodrigues, 460, sala 303C, Botafogo, Rio de Janeiro

CEP: 22280-040

CNPJ: 29.255.585/0001-72

Telefone: (21) 3616-7034, (21) 3616-7634, (21) 3616-7017 e (21) 3616-7749

E-mail: aned.dataprev@gmail.com

© ANED, 2020. Todos os direitos reservados.
Gerenciado por
Logomarca da LEGRA.